57 milhões de pessoas, clientes e motoristas UBER, tiveram seus dados expostos

Marcel para Deise Zuqui

Imaginem só, uma empresa do porte da Uber, ter os dados de seus clientes e motoristas roubados e expostos.

Pois é, apesar de estar sendo noticiado hoje por vários meios de comunicação, a ação ocorreu em Outubro do ano passado.

A Uber pagou mais de 100 mil dólares aos hackers para que os dados fossem excluídos da internet e ninguém ficou sabendo da falha da toda poderosa empresa de transporte de passageiros por aplicativos.

Até que ponto poderemos confiar em empresas que omitem suas falhas e estão dispostas a pagar o que for para que esse dados não vazem para o mundo.

O ocorrido

O ato ocorreu em Outubro de 2016, e a Uber preferiu omitir que milhões de dados de usuários e motoristas foram expostos.

Dados de e-mail, número de telefone, endereço, fotos e até números de carteiras de habilitação dos motoristas foram expostos.

Dizem que os dados de cartões de créditos, históricos de viagens não foram acessados. Mas você confia?

Como vazou?

Segundo a Bloomberg com a demissão do diretor de segurança, Joe Sullivan, o caso vazou.

A empresa sofrerá  investigação e será processada nos EUA.

A Uber omitiu a pedido do seu ex-CEO, Travis Kalanick e diz que pagou o valor pela omissão por chantagem.

“Embora não possamos apagar nosso passado, me comprometo em nome de cada funcionário da Uber que vamos aprender com nossos erros”, afirmou Khosrowshahi, atual CEO. A empresa ainda precisa anunciar quem ficará responsável pela área de segurança.

Concluindo

Deixar informações de acesso à base de dados de “produção” em serviços chamados “GitHubs”,  ou seja, permitir que programadores guardem o acesso ao servidor que comanda todo o aplicativo “no mundo” em servidor de desenvolvimento, não é uma empresa que se diz digna de organização.

Dizer que os hackers não tiveram acesso aos dados financeiros não é algo digno de confiança.

Uma empresa que permite falhas de principiantes, dificilmente terá uma organização de dividir servidores em servidores de dados cadastrais e dados financeiros.

A empresa cobra de seus motoristas 27,5% de cada corrida.

Esse  valor é absurdo, tendo em vista que estes atuam mais de 13h por dia e não recebem o equivalente ao gasto com combustíveis, almoço e veículo.

Porém, a empresa não investe em segurança digital como deveria ser investido.

Há poucos dias foi noticiado que a empresa investiu bilhões de dólares na compra de carros sem motoristas.

Você vai confiar nos serviços deles?

Clique aqui para ver mais notícias.

Clique aqui para seguir a página no facebook. 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um + um =